Tag Archives: corrida de rua

Descobri na corrida uma sensação única – by Mi Giese

Meu nome é Milene Giese, sou de São José dos Campos e essa é minha história na corrida… Um belo dia a empresa onde trabalhava patrocinou uma corrida em minha cidade, e todos os funcionários ganharam uma inscrição. Mas eu nem dei bola, afinal não aguentava correr nem 5 minutinhos, não tinha fôlego e nem vontade de correr!! Na época fazia apenas musculação, 4 vezes na semana…. Mas veja como são as coisas….uma das funcionárias da empresa era corredora, e de tanto insistir e dizer que seria legal, que eu iria gostar, que se eu treinasse eu conseguiria, eu resolvi topar o desafio…. Bom, desafio topado, conversei com meu professor da academia que passou um treino para eu correr 5km em 2 meses… Lembro muito bem, que meus primeiros 5km foram feitos na esteira em incansáveis 39 minutos não foi fácil…mas desistir não era uma opção!!!

Foram 2 meses de treinamento…e quanto mais se aproximava do dia da prova, mais ansiosa eu ficava… no dia anterior a prova, mal dormi, parecia que estava indo para uma competição, fiquei nervosa, com dor no estômago, com medo de não conseguir. Quando cheguei na prova, me encantei com a energia do evento, com tantas pessoas se superando, e eu ali naquela multidão!! Foi dado a largada, e eu corri, dei o meu melhor, senti aquela sensação que só a endorfina nos proporciona…e ao finalizar a prova, descobri que naquele dia nascia uma corredora, não estava ali para competir com ninguém, o desafio era meu, a superação era minha e minha maior adversária era eu mesma… Terminei a corrida em 30 minutos, fiquei realizada em terminar, e não caminhar, em só correr e curtir aquele momento…Descobri que aquilo faria parte da minha vida por muito tempo e acredito que será para sempre, por que correr não é só colocar um tênis e sair por ai… Correr é um estilo de vida, e naquele momento percebi que tinha encontrado meu estilo de vida!! Sim…a corrida me transformou!

Milene Giese nos seus primeiros 5k
Milene Giese nos seus primeiros 5k

Me tornei uma pessoa muito diferente, troquei as noites pelo dia, diminui o consumo de álcool, ganhei mais energia, disposição, fiquei mais disciplinada e procurei uma nutricionista para reeducar minha alimentação, percebi que a partir desse momento, fui perdendo peso de forma correta. Sempre fui magra, mas tinha ali 10kg extras de gordura que foram substituídos por massa magra. Outro grande ganho que a corrida me trouxe, além de perder peso melhorei a minha saúde!!!

O tempo foi passando e claro, novos desafios foram surgindo, os 5km passaram a ser um aquecimento para os treinos maiores, vieram os primeiros 10km, os primeiros 15km e de repente os primeiros 21km. Procurei uma Assessoria em minha cidade, pois queria estar amparada por profissionais da área para fazer treinamentos específicos para essa distância!!!

Em março de 2015 corri minha primeira Meia Maratona, também incentivada por uma amiga que me deu de presente a inscrição, pois jamais tinha passado pela minha cabeça fazer 21km…como as coisas mudam né? Rs… Bom, foi naquele dia que senti uma das melhores sensações da minha vida!!! Não, não é exagero…a corrida faz isso com a gente Sim!! Quando terminei a prova, me senti tão forte, senti que a partir daquele momento eu poderia alcançar qualquer coisa, uma sensação muito boa tomou conta de mim, foi incrível!!! Mas junto com essa sensação de bem estar vieram algumas dores, e confesso que terminei acabada, exausta e muito cansada! Bom, pensei, essa é a primeira, vou treinar mais para mudar esse quadro nas próximas!!!

Mas de repente surgiu uma lesão no joelho… não sei exatamente o que foi, se foram os treinos, uso de tênis inadequado ou falta de fortalecimento correto, só sei que me assustei….fui ao médico, e lá estava eu com condromalácia grau 3.. fiquei com muito medo de ter que parar de correr!! Foi justo na mesma época que decidi iniciar os treinos na montanha!! Mas meu ortopedista disse que meu caso não era grave, eu poderia correr por muitos anos, mas não correr em subidas…Naquele momento optei em abortar os treinos na montanha e me dedicar ao fortalecimento muscular…, comprei um novo tênis, fiz muita fisioterapia e treinos mais planos e curtos e sempre respeitando meu limite… Nessa fase aprendi mais uma lição, a musculação faria parte de minha rotina para sempre…não tinha como escapar, não tinha como faltar, teria que ser levado a sério.

Corrida Cross Run- 10k em junho/2016
Corrida Cross Run- 10k em junho/2016

Com o passar do tempo, a dor foi sumindo, minhas pernas ficaram mais fortes e voltei a correr longas distâncias, participei de mais 2 Meias Maratonas, e na última prova terminei tão bem, tão disposta, tão forte, sem dores nas pernas, no joelho, em nada….e naquele momento pensei…acho que está na hora de me desafiar…e algo que sempre falei que jamais faria, que não era para mim, de repente veio na minha mente…é…quero fazer uma Maratona!!! Como vai ser? Não sei…mas eu quero!!!!

Medo? Sim… o mesmo medo que tive na primeira prova de 5km lá em 2013 quando não corria nem 5 minutinhos…. o mesmo medo que tive em minha primeira prova de 21km em 2015, e tenho certeza que será a mesma sensação em 2017 quando eu estreiar na Maratona!!! Mas sou da seguinte opinião…o medo está aí para nos desafiar. Sei que o treinamento para uma maratona é diferente, requer muita dedicação, mas quando queremos algo, e quando nos dedicamos acredito que tudo é possível!!! O desafio está lançado, a inscrição está feita, agora é treinar muito e me dedicar..Escolhi a Maratona mais linda do Brasil, e em 300 dias estarei lá largando com tantos outros corredores na cidade maravilhosa, no Rio de Janeiro!

Já passei por muitas fases na corrida, já terminei provas me sentindo muito bem, já terminei provas me sentindo muito cansada. Já me superei nos 5km, finalizando em 24 minutos, já tive que abortar uma prova por simplesmente não estar bem no dia… Enfim, corro por que amo correr, no meu tempo, no meu limite!! A corrida é meu hobby, faz parte da minha rotina e é uma energia na qual quero sentir para sempre…por que descobri na corrida uma sensação única, que nunca tinha sentido antes!!!!

Nove de julho, a minha revolução

Sábado, 7h,22 dias para a Maratona Asics Golden Run.

Treino: 36km

Mas eu não queria assim. Defini meta de 40km. Seria o treino para fazer o teste definitivo para a corrida.

Comecei o treino junto com minha amiga Lúcia, estávamos mantendo um ritmo dentro do previsto. No km24 nos separamos. Comecei a sentir dores nas costas e fiquei para trás. Diminui o ritmo e segui em frente, mas as dores só aumentavam, sentia como se fossem punhaladas nas costas, às vezes mal conseguia respirar. O desespero começou a bater. Não vou conseguir terminar o treino! E se acontecer isso na corrida? E agora, o que fazer?

Terminei mais uma volta, 30,600m. Paro ou continuo? Encontrei com os treinadores, combinei com eles onde eles estariam com água e pensei: qualquer coisa, volto com eles.

Decidi ir em frente, pelo menos até 38 km. Péssima decisão! 500m a frente tive que parar para respirar, muita dor. Corri mais um pouco, parei de novo. E de novo, e de novo e de novo! Doía tanto que eu não conseguia mais ficar reta, as lágrimas escorriam. Aí a cabeça começa a agir sozinha. A lógica seria parar, esperar o treinador e desistir. Se não der a maratona, desistir também.

Mas eu não treinei tanto para isso! Me revoltou pensar em desistir. Em vez disso, fui recordando do passado, das dificuldades e me veio a questão: por que continuar? Por que correr? Por que eu corro?

Eu corro por que eu POSSO correr, por que eu QUERO correr!! Não é a primeira vez que é difícil, já quase desisti em uma prova, mas não me permiti. Foi loucura, mas naquele momento eu gritei comigo: “Se eu fui até o fim daquela vez, vou de novo agora!” O tempo de desistir já passou. Nessa altura, estava nos 32km. Parei. Respirei, comi umas frutas e aliviei minha alma. Toda pressão, que eu mesma tinha colocado nos meus ombros, de manter performance, desapareceram. Só ficou a vontade de terminar. Nesse ponto, eu tinha decidido que ia fazer o treino da planilha, 36km. Então, fui em frente, foco total em cada passo, cada centímetro a mais é um centímetro a menos. De repente, só restou a alegria de correr, a expectativa da maratona. A dor estava lá, latejante, mas saiu do meu foco. O Foco era terminar. Deu 36km, eu continuei. Parei com 39km, muito muito muito feliz de ter completado. Neste treino, me conheci melhor. Nunca fiz análise, nem meditação, nada relacionado, mas senti minha mente dominar totalmente meu corpo, numa corrida selvagem, numa corrida livre. Liberdade, foi a palavra do dia!

Por Vânia Leme

Meia maratona de Florianópolis e um recorde pessoal

Dia 12 de junho, Florianópolis, avenida Beira Mar….dia lindo e ensolarado, quem conhece o cenário, logo imagina, viagem de Dia dos namorados? engano! Fui correr a Meia Maratona  mais charmosa do país e tcharam… bati meu recorde nos21.097,5 metros!!

Foi minha primeira Meia Maratona de corrida de rua, antes somente nos treinos.  Sou trail runner e as meias maratonas nas montanhas são mais hards,  algumas que fiz levaram 6 horas para terminar.  Voltando à Meia de Floripa, utilizo uma frase da O2 apoiadora da prova…

“Rápida como Berlim, fria como Nova York, plana como Chicago, Bonita como Floripa”

Fria eu concordo, já que dessas cidades Nova York é a única que conheço.

É uma prova toda plana, com um visual incrível da orla marítima e com a imensa Ponte Hercílio Luz de cenário, que liga o continente a Ilha. Já sabia que seria uma prova rápida e estava ansiosa pra fazê-la bem, num tempo sub20 e curtir o visual. Fui pra Floripa com mais 3 amigos, saímos de São José dos Campos/SP de carro, totalizando 10 horas de viagem, revezando a direção.  Chegamos sábado cedo, buscamos o Kit, que aliás preciso comentar, achei lindo e fomos curtir a cidade, ficamos hospedados num hostel na Lagoa da Conceição, bem no centrinho, lugar gostoso, com ar de interior, caminho para as famosas praias  Joaquina e Mole.

A noite bem cansada da viagem, fomos dormir cedo, já que acordaríamos as 6h para nos arrumarmos, tomar café e ir para a Avenida Beira Mar, local da largada. E assim fizemos, ao acordar olhei no celular a temperatura 8° C , essa temperatura ditou a roupa da prova, calça legging e uma blusa de manga comprida que me aqueceria após a prova.

Todo o transito local foi alterado para a prova, resultado, chegamos à 10 minutos da largada, tempo suficiente apenas para me posicionar no meio dos 7mil corredores, nunca havia corrido com tanta gente, ansiedade a mil, estava bem atrás e me perguntei, como vou conseguir largar forte com tanta gente?  Largada dada, liberei o relógio e fui num ritmo tranquilo desviando dos outros atletas, quando encontrei um espaço que me permitia correr mais forte, assim o fiz, e fui aumentando as passadas, me sentia confortável, acompanhava meu pace no relógio e estava conforme o planejado nos treinos.

meia_floripa_2016.06.12_

A prova toda tem hidratação, me propus a beber água a cada 30 minutos  e no Km 10 tomar um gel de carboidrato, mas quando ao tomar o gel, senti muito enjoo, eu tenho sensibilidade palatal, precisei  parar para engolir junto com a água e acabei perdendo uns 2 minutos, me recuperei e no Km 15 vi meu pace aumentando aos pouquinhos, era o cansaço me rondando,  tratei de focar e mentalizar todo o esforço feito pra chegar até ali, lembrei dos treinos nos dias difíceis e cansativos, a alimentação cuidadosa e restritiva, a viagem cansativa de carro, as faltas nas festinhas de amigos e familiares.  Nesse momento é onde resgatamos todas as lembranças importantes da memória  e que nos impulsionam a continuar forte  e funcionou! Fui baixando o pace, até faltar 2 km para terminar e já ouvindo o locutor da prova, mirei algumas pessoas que queria passar, uma meta imaginária para eu não diminuir o ritmo no final, mais o visual lindo do mar e visualizando o pórtico de chegada ao fundo,  fui aumentando as passadas até bater a linha de chegada com 1:52…UFA, CONSEGUI!! com um baita sorriso no rosto, com os olhos marejados agradeci a corrida e a meta pessoal batida!!

Go hard

Meia de floripa IImeia_floripa_2016.06.12

O que é uma Assessoria Esportiva?

Cada vez mais o público corredor no Brasil vem aumentando, e com ele o número de Assessorias Esportivas também cresce a cada dia. Mas afinal, o que é uma Assessoria Esportiva?

As Assessorias Esportivas são compostas por profissionais de Educação Física capacitados e registrados no Conselho Regional de Educação Física (CREF). Há Assessorias que também oferecem o acompanhamento de Nutricionistas, Fisioterapeutas e serviços de Personal Trainer.

Os dias e horários dos treinos variam entre as assessorias, mas ocorrem normalmente no período da manhã e noite durante a semana e período da manhã nos finais de semana.

Hoje as Assessorias também estão expandindo e oferecem treinamento para outras modalidades além das corridas de rua, como por exemplo corridas de montanha e triathlon.

As Assessorias são para todos os tipos de corredores, desde os iniciantes até os profissionais, e os treinos são elaborados conforme as metas individuais de cada corredor. O acompanhamento especializado durante os treinos auxilia os atletas a prevenir e afastar possíveis lesões, além da carga e volume de exercícios controlada.

Juntamente com o acompanhamento especializado vem o desenvolvimento da parte técnica, que pouco a pouco é aprimorada durante os treinamentos orientados pelos especialistas. O desenvolvimento da parte técnica e melhor postura são trabalhados nos exercícios educativos em todos os treinos contribuindo também para o melhor desempenho nas corridas.

Os profissionais também auxiliam na organização de um calendário de provas, tornando assim o treinamento mais focado nas metas do semestre ou ano, resultando em uma melhor performance nas provas alvo. As próprias assessorias também possuem um calendário de provas nas quais estarão presentes e acompanhando seus atletas com suporte de tendas com guarda-volumes, café da manhã e fisioterapeutas.

Além de toda a parte técnica, ao ingressar em uma assessoria a parte social também expande. Os vários corredores que integram o grupo acabam se tornando colegas ou até mesmo amigos, trocam experiências, incentivam uns aos outros nos treinos e provas, trazendo assim também benefícios para a vida social e profissional desses atletas.

Corra com consciência.

Os benefícios do treinamento com orientação

Muitos corredores amadores dão seus primeiros passos na corrida de rua com o incentivo de amigos ou familiares que já praticam o esporte e aos poucos vão aumentando a distância e a intensidade.

A prática de atividades física é muito bom e traz inúmeros benefícios a saúde, porém não só na corrida como em qualquer outro esporte a orientação de profissionais capacitados é muito importante, pois ajuda a prevenir lesões, além do treinamento estar sendo planejado e focado nos seus objetivos melhorando assim performance e obtendo melhores resultados.

Assim como a maioria dos corredores iniciei nas corridas com o incentivo de uma amiga, porém 7 meses depois quando resolvi me inscrever para a minha primeira meia maratona decidi procurar uma assessoria esportiva para ter um treinamento mais direcionado e conseguir concluir a prova com sucesso.

Foi quando ingressei na Pace Run Assessoria, e os benefícios e evolução no esporte são cada vez mais visíveis. De início uma grande mudança foi na postura ao correr, curvada e correndo “sentada” provavelmente uma lesão no joelho não demoraria a aparecer além da canelite que já estava iniciando. Os treinadores sempre atentos, corrigindo e orientando em pouco tempo foi possível perceber uma evolução considerável na biomecânica.

Em todos os treinos executamos os exercícios educativos antes de iniciar a parte principal do treino, entretanto esses exercícios são tão importantes quanto os treinos de ritmo, intervalos e tiros por exemplo; pois melhoram coordenação, agilidade e os movimentos, melhorando assim a biomecânica do atleta e trazendo melhores resultados. Além de melhorar a performance, os treinadores orientam sobre as provas alvos, estratégias, importância de fortalecimento, alongamentos e incentivam a buscar maiores desafios.

Hoje os 21km já não são mais temidos, o treinamento físico e mental trouxeram confiança, melhor rendimento. Os movimentos que antes eram lentos e descoordenados hoje já são executados com mais consciência e eficazes, ainda com muito a evoluir mas feliz por não ter lesões e atingir as metas da melhor forma possível.